26.8.09

Jô, qual é a sua?

faça o que eu digo, não faça o que eu faço


O humorista, ator, escritor, artista plástico, diretor teatral e apresentador de rádio e TV José Eugênio Soares, 71, tem, nas última cinco décadas, sedimentado uma imagem clara: um sujeito inteligente, de vasta cultura, capaz de trafegar pelos mais diferentes assuntos, de espírito irrequieto, opiniões próprias e um proverbial bom humor.


Apesar de assumir publicamente a condição de hipocondríaco, sempre fez piada da própria obesidade: Jô é o modelo de gordo feliz, do tipo que deixa bem claro que jamais abriu mão dos pequenos (e grandes) prazeres à mesa, seja para obedecer os ditames das cartilhas da saúde perfeita, seja em nome de uma silhueta mais “socialmente aceitável”. Aliás, com constância, faz troça das nomenclaturas e dos conceitos tidos como “politicamente corretos”.


Rico, sofisticado, constantemente citado como um dos homens mais elegantes do Brasil, sempre cultuou o estilo bon vivant – e jamais fez nenhuma questão de esconder isso: além da boa comida, a imagem pessoal do multi-artista sempre esteve associada à boa música, carros importados, motocicletas possantes, viagens internacionais, boa bebida e bons fumos – aliás, os melhores: Jô é apreciador de charutos cubanos há muito tempo. Tanto é que os charutos tornaram-se dele uma marca registrada, quase tanto quanto as gravatas borboleta: são inúmeras as imagens dele portando e degustando os cilindrões de tabaco em aparições públicas, inclusive em seu próprio programa, no qual, por algumas vezes, recebeu entrevistados para falar do assunto. Jô ainda aparece fumando charuto em fotos nas orelhas de seus dois primeiros romances, “O Xangô de Baker Street” (1995) e “O Homem que Matou Getúlio Vargas” (1998).



O gosto de Jô Soares pelos charutos é tão notório, que em 1999, o artista lançou uma griffe de charutos com seu nome: produzidos pela empresa D´Angelo, nas Ilhas Canárias, com fumo de procedência cubana, os Charutos Jô Soares foram resultado de longa pesquisa e experimentação do próprio artista, até que se chegasse a um resultado que ele aprovasse.


Matérias da época sobre o assunto:

Globo

Istoé


Jô e seu charuto, entrevistados no programa Roda Viva:

Roda Viva


Evidente que o senhor José Eugênio recebe royalties por ceder o nome artístico ao produto, óbvio.


Então, com base em toda essa história, a foto do rechonchudo artista literalmente vestindo a camisa da delirante campanha paulista de caça ao fumo é uma dessas imagens que me fazem acreditar que o mundo enlouqueceu. Absurdo, sem sentido, esquisito. É o mesmo que ver a Gaviões da Fiel vestida de verde, o Edir Macedo pedindo benção ao Papa ou o João Gilberto em cima de um trio elétrico, rebolando e dizendo que é tiete do Chiclete.


Fato é que Jô – o fumante e grande conhecedor de charutos – é uma das estrelas da campanha, menos pela sua participação em peças publicitárias, do que pelo palanque em favor da “causa” em que transformou seu programa diário, nas últimas semanas.


No dia 4, na antevéspera da entrada em vigor de lei, Jô recebeu o Governador José Serra para uma entrevista. Entrevista, na verdade, é força de expressão: foi praticamente um bate-papo, em que o apresentador limitou-e a “levantar a bola” para o entrevistado falar sobre os feitos do seu governo e, principalmente, defender a aplicação de sua lei – sozinho, à vontade, sem qualquer contraditório, sem contestações de nenhum tipo (nem mesmo as mais óbvias).



A “sala de visitas” do Jô ainda recebeu, em depoimentos gravados, a participação do médico Dráuzio Varella – que, assim como José Serra, é amigo pessoal do apresentador (eu juro que tentei escrever o artigo sem mencionar o nome do Doutor Pop, mas ele está em todos os lugares, como já provei em postagens anteriores).


Para quem não viu, conto ainda que Serra teve o programa INTEIRO só para ele: sim, os três blocos, fato raríssimo nos vinte anos do programa, só acontecido quando da presença de entrevistados extremamente incomuns ou diante de fatos realmente extraordinários – e, lógico, que nenhuma das duas regras se aplica.


Continuando a sua nova fase de engajamento à causa, o charuteiro anti-tabagista Jô Soares, recebeu há poucos dias, a médica pneumologista Iara Finks: jovem, simpática, bem articulada, mas – vamos combinar? – uma ilustre desconhecida, que recebeu dois blocos do programa.


Ganha um Charuto Jô Soares quem adivinhar o principal foco da conversa!


Curioso que, em um dado momento da entrevista, a doutora abordou um aspecto dessa história toda, que a maioria dos patrulheiros histéricos, sejam médicos ou não, costumam “esconder”: que os possíveis males causados pelo hábito de fumar estão ligado a fatores GENÉTICOS. “Tem gente que tem a genética `boa’ pra fumar”, disse. Por isso há, segundo a especialista, fumantes que vivem “até os 90 anos” e não desenvolvem doenças pulmonares, vindo a morrer por outras causas.


Mencionou também que os males provocados pelo fumo, estão sujeitos a “interação entre o fator genético e a condição física” – o que me leva a crer que fumantes obesos e sedentários, como apresentadores de TV charuteiros, realmente correm sérios riscos.


Traduzindo: fumar faz mal, mas não um “mal igual” para todo mundo – e esse “mal” ainda pode ser minimizado por uma boa condição física.


Foi engraçado ver o apresentador-engajado, diante dessa abordagem – pela qual ele certamente não esperava –, tentando sutilmente mudar o rumo da prosa, insistindo na ladainha “fumar mata” e pronunciando a palavra “câncer” mais vezes do que era necessário.


Depois, como parte da arma mais nefasta de discriminação do fumante – a demonização –, aproveitou a presença da médica para exibir trechos de filmes americanos, para provar que, com o passar dos anos, o cigarro saiu das mãos dos “mocinhos” (como o James Bond, de Sean Connery) para os “maus” – como a “nada sexy” e nem um pouco interessante escritora-psicopata de Sharon Stone, em “Instinto Selvagem”: sim, aquela que cruzava as pernas diante dos policiais babacas. Não sei não, mas desconfio que esse tipo de abordagem pode ser um tiro pela culatra.



Para terminar, exibiu cena do filme “Voltar a Morrer”, em que um homem, aparentemente em estado terminal, pede um cigarro a outro homem.


- Você não pode fumar – diz o segundo.

- Já estou morrendo mesmo, que diferença faz? – insiste o moribundo.


Então, depois de acender o cigarro, o enfermo o traga através de um orifício de traqueostomia, para reações de espanto e “nojinho”, tanto do outro personagem, quanto da platéia do programa.


Parece que Jô adora essa cena e a escolheu como “emblema”: no dia da entrevista-recepção ao governador, já a houvera exibido.



Grotesca e fora de contexto, a cena, à primeira vista, é mesmo repulsiva – e atende bem aos interesses dos que tentam pintar os fumantes como uns condenados. Querem impor, de todas as formas, a idéia de que fumar é doença.


- O tabagismo é reconhecido pela Organização Mundial da Saúde como uma do-en-ça – declarou a doutorinha.


Mas, refletindo só um pouco – coisa que os histéricos abobados têm muita dificuldade de fazer –, se uma pessoa está à beira da morte – tanto faz se por câncer, febre amarela ou por ataque de piolhos –, repito a indagação do personagem: que diferença faz? O que pode ser mais cruel do que negar um pedido simples a alguém que está à morte?


O uso dado pelo programa do senhor José Eugênio à cena, objetiva fazer com que os fumantes olhem-se no espelho e sintam nojo de si próprios – mas eu me sinto é desrespeitado. Mais ainda quando olho para rechonchuda figura do apresentador e penso que, por uma questão de coerência, ele deveria encampar uma campanha semelhante e com a mesma abordagem, contra outra “doença” – igualmente reconhecida como tal pela OMS – ainda mais perigosa do que o tabagismo: a obesidade!


Sim: e certamente não faltariam cenas de documentários médicos, exibindo constrangedoras imagens de obesos mórbidos em estado terminal, jogados em leitos de hospital, vítimas de diabetes, infartos, hipertensão, tromboses, sofrendo por apinéia do sono, doenças articulares, incontinência urinária, insuficiências respiratória, renal, hepática e cardíaca.



Talvez até encontrassem um filme em que um gordão, com o pé na cova, fizesse um último pedido: uma bomba de chocolate, pelo amor de Deus!


E para demonstrar o seu real engajamento, Jô poderia emagrecer: uns 40 quilos, para começar! Afinal, quem pretende difundir uma campanha dessa natureza tem, antes de mais nada, que dar o exemplo!


Aliás, por falar em “dar o exemplo”, eu não o ouvi dizer, nenhuma vez, que parou de fumar. Alguém ouviu? Hã? Pois é, nem eu.


Então, perguntamos: Jô, qual é a sua?

Faça o que eu digo, não faça o que eu faço?


O que motiva alguém a vestir a camisa de algo em tão completa falta de sintonia com sua história, estilo e hábitos? Claro que Jô Soares, o bon vivant, não compactua com toda essa babaquice e nem sequer é favorável a Lei Anti-Fumo! Então, por que?


Um vultoso cachê pela participação na campanha?

Não! Por maior que fosse: Jô é MUITO rico, evidentemente não precisa disso.


O que então? Uma ordem vinda de cima, da emissora que o emprega?

Não também: Jô é independente dentro da Globo e sua pauta sempre pareceu totalmente descolada das diretrizes jornalísticas da emissora.


Então, afinal, o que?


O que eu enxergo, nitidamente, é o seguinte: o factóide da Lei Anti-Fumo marcou o início da temporada de pavimentação do caminho de José Serra à Presidência, e é a esse projeto que Jô Soares está realmente engajado. A estreita ligação dele com o “alto tucanato” paulista é antiga e notória, inclusive com o ex-presidente Fernando Henrique e com o governador Serra, de quem, como já foi dito, é amigo pessoal. Jô tem sido “porta-voz” informal do PSDB e aparentemente sente disso muita vaidade. Mais que isso, aparentemente realmente acredita que Serra na presidência é tudo de que o Brasil precisa. É uma coisa de “os fins justificarem os meios”, eu diria: não, essa não é uma maneira apenas petista de fazer política.


E, convenhamos, para levar um sujeito chato, ruim de conversa e absolutamente desprovido de carisma como o José Serra à presidência, serão mesmo necessários ótimos comunicadores, além de muitos factóides – e logo: Serra terá que deixar o Palácio dos Bandeirantes em Abril do próximo ano, caso realmente seja indicado. Resta, portanto, bem pouco tempo para que seus “simpatizantes” o auxiliem abertamente: como se sabe, uma vez que o candidato esteja definido pelo partido, passa a vigorar uma verdadeira mordaça imposta pela lei eleitoral aos órgãos de comunicação, que não podem, de forma alguma, mostrarem-se favoráveis a um ou a outro.


Se você nunca entendeu porque o Zé Serra, tão preocupadinho que é com os pulmões dos fumantes passivos, não mandou sua lei caça-fumaça para a Assembléia Legislativa logo que assumiu, preferindo deixá-la para a reta final de seu governo, talvez agora tenha uma “dica”.



Nós, velhos boêmios revoltados, não significamos nada nessa engrenagem, voltada para interesses tão maiores. Ninguém está pensando na gente quando o que se enxerga é o poder. E a esmagadora máquina de propaganda do governo resulta no que se está vendo: as pessoas colando os cartazinhos em tudo que é canto e repetindo os blábláblás do Doutor Pop, da mesma forma que repetem os “Hare Babas” da novela, feito uns papagaios descerebrados.


Eu, antes de “me jogar no Ganges”, digo o seguinte: se Serra fosse MACHO, ele teria ido pro PAU com o Lula em 2006, quando a petralhada bandida ainda estava tentando arrumar um jeito de esconder debaixo dos tapetes a sujeira toda que veio à tona no escândalo do mensalão, um ano antes. Ao invés disso, o PSDB –, incompetente, arrogante, pouco patriótico e covarde –, adotou outro caminho. Ao concluírem que Lula era imbatível naquele momento, seus caciques preferiram garantir o feudo paulista: Serra deixou a prefeitura – que assumira um ano antes! – nas mãos de seu vice, e se candidatou a uma eleição que sabia que ganharia com um pé nas costas. Para a eleição presidencial, mandaram o boi-de-piranha Alckmin – e o resto da história todo mundo sabe.


Essa gente não está preocupada com o seu pulmão e nem com mais nada: são políticos, apenas isso. Querem parecer heróis para receberem seu voto, simples assim.


Pensando nos charutos do Jô, lembrando do sorriso cínico do Serra e olhando para os zilhões de cartazes do anti-fumo pela cidade, eu não tenho como não me lembrar da frase “às favas com escrúpulos, senhor presidente!”, proferida, em 1968, pelo Ministro Jarbas Passarinho ao então presidente Costa e Silva, quando da implantação do AI5 – ato que decretou o início do pior momento da ditadura militar.


Acho desnecessário discorrer sobre seu significado.


Mas lembro que, ironicamente, “Às Favas com os Escrúpulos” é título de uma peça de muito sucesso, encenada em São Paulo em 2007, com texto de Juca de Oliveira, inspirado na célebre frase, e direção de ... Jô Soares!



Parece que, sem anunciar, Jô está encenando uma espécie de “segundo ato” do espetáculo. Mas, no papel principal, não está mais Bibi Ferreira!


Gostou desse?
Leia outros artigos relacionados:
Ex-Fumantes
Dedo-de-Seta
Cigarro, Uísque e Mulheres
Eu não quero mais brincar


52 comentários:

Nova Quahog disse...

EHAHAHEAEA
ESSA DELE FOI FODA...
MAS CARA...RESPEITANDO A LEI É O QUE VALE...

E MANO...PQ POSTAGEM TAO LONGA?
SABE Q POUCOS VAO LER!

Anabelle disse...

Eu tb achei isso tudo muito estranho, não é a cara do Jõ participar desse tipo de coisa. Muita hipocrisia e politicagem, tudo pelo poder e por estar próximo do poder.

Anônimo disse...

Pois é, as favas com os escrupulos! Muito hipócrita esse gordo, fumando e falando pra não fumar? SE o serra n~]ao ganhar vão os dois enfiar esses charutos no c*!

Úrsula disse...

Não sei pq vc está tão impressionado com a atitude do Jô. Ele é humano, e todo humano muda de lado de acordo com seus interesses. Temos exemplo disso o tempo, com "quase" todos.

É por isso que eu amo os cachorros, os gatos, os passarinhos, as cobras, os macacos etc.

palavras ao vento disse...

legal oke vc esceveu...falou sobre o artista o jo e tb sobre a lei anti fumo...junto os 2 em um so....muiot bom...

luiz scalercio disse...

cara eu nao gosto do jo e muito
metido por meu gosto.

FAGGH® disse...

Que mega post !!! uhahuahua então os artistas mudam de opnião facil neh ...acho que rolou uns troquinhos pro Jo gordinho
auhahuahua
abrç
www.celebritypoke.blogspot.com

Vini e Carol disse...

Nossa cara, que texto enorme!!

Bom, eu acho que é válido ele apoiar a campanha, mesmo sendo um fumante!

Aliás, MUITOS fumantes por aí aderiram a campanha, eles enxergam que é horrível para quem não fuma sentir o cheiro da fumaça que vem da boca dos outros.

E ele como uma pessoa influente, agiu certo em aderir essa tal "delirante campanha" como você mesmo diz. Ué, que fuma não pode aderir a campanha? Porque?
É um pacto entre os fumantes??

Eu acho que uma pessoa que tenha o mínimo de clareza mental aderiu a campanha, todos sabem que essa fumaça é maldita! Proíbem a maconha, mas liberam o cigarro, que é TROCENTAS vezes pior para o organismo.

Você como um fumante, e uma pessoa inteligente, deve saber que mesmo quem fuma deve aderir esse tipo de campanha, afinal, ninguém é obrigado a viver no seu mundo de fumaça, não é mesmo???

Aliás, vim lhe informar que tem um selo pra você em meu blog, se quiser pegue-o.

Abraço.

Kalango disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
milena disse...

O que me incomoda é a posição dúbia do apresentador na questão como um todo. Em vários programas (eu assistia ao Jô quase que diariamente) ele soltava comentários sarcásticos sobre a lei. Me parecia que ele era contra a lei... Até a publicação da foto. Mesmo na entrevista com Serra, ele pergunta sobre fumar sob toldos - ao que o Serra responde, ante o olhar confuso do Jo, que pode.
Enviei um email para o Jô dizendo justamente que ele como gordo (gordos e fumantes têm muito em comum) não poderia ser a favor de uma lei que quer que o fumante pare de fumar na marra.
Óbvio que recebi uma mensagem automática.
Respondi a mensagem automática, certa de que ninguém leu, e publico aqui:
"Com certeza vou fumar menos porque dormirei mais cedo.
Jô fazendo a sua parte! Parabéns pela iniciativa pró-saúde."
Milena Hannud - eufumo

ederDBZ disse...

a postagem é bastante interessante, mas acredito que o texto poderia ser mais 'enxuto', pois pouquissimos internautas lerão tudo...

Lay Zwetch disse...

Eu só li o começo da postagem.. fiquei com preguiça de ler o resto pke o texto é mto grande..

layne disse...

eu adoro o jo, acho ele um cara super inteligente e com otimas tiradas. o texto é enorme, mas me interessa e eu li todo. é muito dificil trabalhar numa empresa de canal livre e não se comprometer nunca em tantos anos, mto dificil é no carater impossivel. acho normal, nem certo nem errado, normal.

Adm. Marcelo Leite disse...

Adoro os livros que ele escreve!
Um ótimo autor!
Belo blog.

**STELA** disse...

ADOREI!
E LI A POSTAGEM I-N-T-E-R-I-N-H-A!!
FUMANDO, CLARO...
RSRS

Muito bem escrita e concordo com tudo!!!

Wander Veroni disse...

Opa! Parabéns pelo excelente trabalho de pesquisa e contextualização. Engraçado é ver como muitos artistas caem em contradição quando aceitam participar desse tipo de coisa. Sou contra o fumo ou qualquer outro tipo de droga. Gostei da ideia do projeto em SP, mas acho que o Serra pegou pesado em alguns pontos.

Abraço

Luis Adriano disse...

Eu admiro o Jô; acho-o um bom apresentador, tem um humor inteligente e certamente entretém aqueles que o assistem e lêem. A princípio, pensei que ele estava contra a lei, mas depois fiquei em dúvida a respeito de seu posicionamento.
Faço o que eu digo, mas não faça o que eu faço? Talvez...

Blog do disse...

Acho Jô um besta, se acha demais, um super intelectual, não sabe nada do que é viver no Brasil trabalhando.

BLOGdoRUBINHO
www.blogdorubinho.cjb.net
www.twitter.com/blogdorubinho

Daniel Silva disse...

Tem coisas que não dá pra entender mesmo.

Anônimo disse...

Achei o texto interessante, mas longo.
Exercendo a democracia, uma coisa é ser fumante, outra é fumar em locais públicos e fechados.
O Jô é fumante, charuteiro de plantão, e aparecer com a camiseta anti-fumo não desabona nada, ao contrário.Ele não se declarou não fumante, tão pouco se comportou como fumante chato. Apenas é lei não fumar em locais públicos fechados.
Fuma quem quer, em locais liberados.
Sou amigas de fumantes fantásticos e daqueles mega chatos que insistem em acender o cigarro no meio de uma refeicão, é irritante até para fumantes imagine para não fumantes?
Colecionador de histórias, gosto do seu blog, das demais histórias mas descordo do seu texto anti fumo

Fábio Flora disse...

Você escreve bem, seu post tem relevância, Jô é um personagem e tanto. Mas por que escrever uma tese sobre o assunto? Seria mais interessante dividir o assunto em posts menores. Abraços e sucesso com o blog!

Jorge Vitti disse...

Impressionante até onde chega a hipocrisia, motivada por interesses escondidos.Seu texto é muito bom e completo, além de corajoso. Difícil alguém mexer com uma "unanimidade" como Jõ Soares.

João Cappello disse...

bem interessante a sua linha de raciocínio... um pouco radical em alguns pontos, mas não falha. boa crítica!

Polly... disse...

Bem, lei é lei e temos q respeitar... Mas vc teve uma boa critica sobre o assunto!


visite tbm!

http://atitudescertasdeumagarotaimperfeita.blogspot.com/

bjs

C. disse...

Não gosto do Jo, nem dos livros dele,ou do programa...Mas achei seu texto muito bom.

www.teoria-do-playmobil.blogspot.com

Anônimo disse...

Adorei o texto. Nada a ver com ele, mas as pessoas são muito preguiçosas! Se o assunto me interessa, leio tudo, qual o problema?

Bom, sobre o Jô, já era esperado esse tipo de coisa. Ele é um pseudo-intelectual e hipócrita.

Marcelo A. disse...

Cara, também curti o texto. É longo sim, mas eu também sou chegado a escrever muito...

Quando ao Jô... fala sério! Isso tudo é factóide!

Uahhahhahahhahaa!!!!!!

Diego Janjão disse...

Também , com o tanto que ele ganha...

srsrsrs

brincadeira, o importante é estar de bem consigo mesmo, e ele é um símbolo disso!

e sobre obesidade, em vários casos é descuido, mas doença tb existe!

Gaél disse...

Tenho minhas dúvidas. Jô é demais, não acho que é tudo isso aí.

Thiago Borges disse...

Caramba, um dos melhores posts que já vi por aí.

Jô é, literalmente (risos), um grande cara...

Excelente entrevistador e com certeza terá seu lugar garantido para sempre na TV...

Só não o assisto por causa da hora...

Abraços

kikinhah disse...

Hj eu não vim comentar e sim te presentear... :P
Tem 2 Selos pra vc lá no meu blog...
BjOs^^

Frank disse...

mais uma da séria série, faça o q eu digo mas não faça o que eu faço.

João Cappello disse...

Olá Fábio. Desculpe-me, se atrapalho aqui, mas como se interessou pelo meu post passado, achei que poderia interessar-se pelo novo que, de certa forma é uma continuação da história. É o post Não, não? (B-1) no meu blog Não-sei-quem falou. Qualquer coisa, pode apagar esse comentário, foi a maneira mais rápida que achei para avisá-lo.

abraço!

Felipe Mendes disse...

Fábio,
Por ter achado seu comentário no meu blog enriquecedor, vim retribuir a visita. Me deparei com este texto super interessante sobre a hipocrisia de Jô Soares. E o texto, apesar de grande, vai ficando interessante a a cada parágrafo. Muito inteligente também sua associação entre Jô e os Tucanos. Ah, descordo totalmente da lei anti-fumo.
É bom ver que um blog com textos longos tem uma audiência tão boa. Sou muito criticado por, na maior parte das vezes, escrever textos longos.
Parabéns pelo blog e pelo estilo de escrita.

Felipe Mendes

Lílian disse...

Olha Fábio.
Repito o que já disse sobre textos longos: Sem ofensa aos que reclamaram, mas pra quem gosta de ler, um post não desses tá de bom tamanho. Afinal de contas, livros são maiores e os leio.

Maravilhoso o Post: Coloquei o Jô no saco do Drauzio e do Serra - Bravatas pessoais. Infelizmente não posso atingir a audiência dele porque nunca assisti o programa.

Textinho novo no: Novo textinho em: http://cigarroaceso.blog.uol.com.br/

Convido a todos para ler (mas juro que não é nada sério!)

Viviane disse...

Eu já vi muita gente fumar pela traquiostomia, mais uma "de dentro dos hospitais"!

Rosy disse...

rsrsrrsrs é isso aí....faça o que digo, mas não faça o que faço. Adoro o Jô. Complica...Acho o Jô extremamente articulado e cínico.

Apenas + 1?! disse...

o jo é otimo
em fala nisso estou assistindoele agora
shaushausa

Mente aberta°°°°°Vida livre

Mara Lúcia disse...

Cara, o Jô sempre foi um engodo, só que ele é esperto e engana muita gente boa. Contra essa politicalha envio o slogan: "Quem fuma não erra, se não vota em quem serra. Não vote no escuro, vote em branco"

Anônimo disse...

claramente, o nosso amigo Jô é um global. E os globais fazem o que os globais o que a Globo quer que eles façam...

tarciotavares disse...

obrigado pelo comentário

Fabíola disse...

Eu adoreeeeeeeeeeeeei seu texto. Adoro ler textos de pessoas bem informadas e com uma visão tão crítica como a sua. Eu, sinceramente, acho o Jô Soares um saco. Acho-0 um apresentador, terrivelmente, chato, sem graça e entediante.

Thalles disse...

isso é besteira ficar comentando toda hora q o cara eh gordo e tals ...
eh uma doença tal cmo Faustão tinha eh mais q certo o q el tah fazendo vc acha massa fumar?
eu acho q não imagine cmo seria lindo um mundo com todo mundo fumando dente podre,pulmão ruim...muitos não são tão resistentes ao fumo cmo outros e esses tem q morrer !?
Na boa naum pode obrigar a parar na força mas isso q vc tah fazendo é idiotice com todo respeito,soh pra demonstrar personalidade contra Jô ridiculo isso!
oh cara fuma e é gordo mas pelo menos naum quer q as pessoas sejam igual a ele e ae?!
errado ele?!
errado vc,q com o poder q tem naum tenta desincentivar ou então naum fica na sua...jah perdi parente com o cigarro pense nas familias q perderam !
muiiiiito idiotice da sua parte ficar levando assuntos assim adiante!

Flavia SC disse...

Apesar do longo texto, li tudo! E cabe a mim uma pergunta: Você é PETISTA?? Você realmente acredita que uma campanha Anti-fumo vai eleger alguém?? Essa campanha beneficia a todos! Inclusive acho ótimo que fumantes estejam engajados nessa campanha anti-fumo! E não acho hipocrisia não! Pq uma pessoa q tenta deixar de fumar e não consegue, ou, que fuma e não quer parar, porém sabe dos males que corre, não pode incentivar outros a não fumar?? Apóio a campanha, sou uma fumante que está tentando deixar de fumar!!! Obrigada!

Edson disse...

Oooo meu amigo, fazendo campanha política aí? hahaha Só um bobo não entende e não vê que o longo texto represente toda sua "ira" conta os tucanos! Como a pessoa acima do meu comentário disse: Vc é Petista?? Fica a pergunta no ar. Pois se fosse a Marina q estivesse na frente nas pesquisas, comc erteza o texto seria pra atacar algo que ela estivesse fazendo (incitando a auto-promoção).
Sou a favor dessa campanha! É muito benéfica para não fumantes como eu.
E caso queira pensar, não sou tucano, ok? Mas defendo qualquer partido que tenha uma idéia boa, ao contrário do PT. Volta pros teus textos bem pensados que com certeza vc faz mais sucesso! fica a dica!

Gisele Gutierrez disse...

Olá Fábio. Sou estudante de Jornalismo e escrevo para o jornal da faculdade onde estudo. Estou escrevendo uma materia sobre a lei antifumo um ano apos sua implantação e gostaria de abordar nao apenas o ponto de vista legal ou dos nao fumantes, mas tbm o q os fumantes. Quero q a materia seja um debate entre as várias partes envolvidas e nao didática, falando sobre os males do fumo, bla bla bla (algo q td mundo já sabe). Enfim, li várias postagens no seu blog, q achei muito interessantes, gostaria de saber se vc responderia a algumas perguntas para compor minha matéria. Creio a enriquecerá muito.
Desde já agradeço
Gisele

Natalia disse...

Putz cara como você deve ser infeliz...fazer um blog que a maioria dos assuntos é sobre como os pobres fumantes, coitadinhos, são injustiçados e perseguidos?

Oh dó! Quer fumar, fume bastante...até morrer sufocado...só que para de reclamar!

Chato demais!

speachless disse...

Cara...dois comentários...1° Mega post...seja mais objetivo...escreveu bravo, né!? rs...
2° pode até estar relacionado com o Serra, mas e dai? Todo mundo que fuma sabe o mal que faz...qual o propósito de mencionar "n" vezes que ele é bon-vivan? problema nisso? "ele é rico!!!" e??? Vc é um cara inteligente...menos, cara...achei o post desnecessário e sem qualquer tipo de embasamento fatídico...menos é mais...

´la la la ia disse...

O texto é grande mais por ser interessante li todo..
sou fumante e antes mesmo de ter lei evitava fumar em locais fechados com não fumantes chatinhos.
Mas depois dessa lei ,todos não fumantes fazem que nem crentes e ficam tentando salvar vidas com seu papinho clichê de poster de hospital.

Adoro o jô e não conhecia esse lado hipócrita dele ,achava normal ele ser arrogante caracterisca que normalmente acompanha inteligencia ,mas negar a essência é paia em!!!

Anônimo disse...

Petista... kkkkkkkkk

Na verdade sou degustador de charutos, e como tal, posso garantir que o fato de eu degustar um ou dois por mês não me favorável ao favor do cigarro, ou mesmo charuto.

Não é porque eu fumo que gostarei de ver outras pessoas realizando o mesmo habito, muito pelo contrário, sou contra. Foi uma opção minha começar, e continuarei porque quero.

Se ele fosse a favor seria hipocrisia, agora ser contra é mais que normal. Ele não deve influenciar ninguém a começar, porém visto os riscos que há em fumar, o melhor é demonstrar-se contra isso.

Isso é minha opinião é claro.

Douglas ☢ Prima disse...

O texto foi muito bem escrito. Mas, quem assiste regularmente o programa sabe que o Jô falou que já parou e isso já tem um tempo. Inclusive disse que, se soubesse que iria morrer a primeira coisa que faria era voltar a fumar. O apoio ao PSDB é evidente. Tanto um quanto o outro são coisas normais. É escolha pessoal. Acho que o pessoal gosta de fazer estardalhaço por pouco. E daí se ele apoia os tucanos? Só por que ele tem influencia? Dane-se a influencia! Mais vale uma opinião formada que tem todo direito, em uma democracia, de ser reformulada.

Douglas ☢ Prima disse...

Tanto comentário engraçado! Tive que rir. Post longo? Vai ler meia-hora bastardo! Só fica longo quando é chato, mas pode ter duas linhas apenas.