6.10.08

Branco

(Março, 2008)


Sei
- mais do que suporto saber
Desejo ignorar

Lembro
- mais do que me agrada lembrar
Desejo esquecer

Se me fosse concedido um pedido
Desejaria ser de novo conduzido
- por mágica
À soleira da porta, da mesma morada
Tendo a glória de uma mente sem lembranças

Que tudo se tivesse apagado!
(mas que fosse a mesma a morada
- linda, imponente, instigante, desafiadora
que apenas se tivesse tornado desconhecida
- por mágica)

Assim, com tudo esquecido, com tudo limpo
Tudo seria inaugural – tudo de novo, pela primeira vez
Uma estrada branca, uma tela branca
Uma casa branca, com varanda

Toda uma superfície lisa e limpa
Para permitir que nela se compusesse um novo mosaico
Pedrinhas coloridas, caquinhos aleatoriamente colados
Um por um, um por um – tudo de novo

Um pano casto onde se fizesse um novo bordado
Fio por fio, ponto por ponto
E que a imagem que fosse assim surgindo
Pelas mãos dessa bordadeira invisível
Fosse inesperada, imprevisível

Passo por passo, nesse caminho
Novamente transformado em desconhecido
Com cada coisinha acontecendo de novo
- pela primeira vez!

Primeiro seria a imagem, a se admirar
- de longe!
Pela primeira vez ouvir a voz
Depois, o primeiro olhar
O primeiro toque nas mãos
E o primeiro beijo, bem depois

Cada centímetro quadrado de pele
(e de alma)
Explorado e descoberto
Com cuidado, com vagar
Com excitação – e algum medo!
O medo que alimenta as humanas paixões...

Seria então o tempo, um parceiro
E ele passaria reto e plácido
Solenemente ignorando o baú do esquecimento
Trancado à chaves, muitas chaves
- e atirado a um canto qualquer

A inocência da ausência de memória
E o mais belo dos caminhos

Branco
Aberto
Infinito.


**


Se você vier
Pro que der e vier comigo
Eu te prometo o sol, se hoje o sol sair
Ou a chuva, se a chuva cair.

Se você vier até onde a gente chegar
Numa praça, na beira do mar
Num pedaço de qualquer lugar

Neste dia branco
(se branco ele for)
Esse tanto, esse tão grande amor
Se você quiser e vier
Pro que der e vier comigo


("Dia Branco" - Geraldo Azevedo / Renato Rocha)

***

3 comentários:

E§¢orpïão disse...

COMENTÁRIOS RECUPERADOS DO ANTIGO BLOG


enviado por: Maraguary (Aplaudindo)
Maravilhoso! E vindo em muito boa hora! Obrigada! (Vc sabe que pode mudar muitas vidas?)
Esteja sempre iluminado!
Em: 15/09/2008 14:19:36


enviado por: camila

será que eu entendi?
eu sempre tenho a dúvida cruel se entendi ou não seus textos.rs.
beijo
Em: 28/03/2008 00:42:44

Danielle disse...

O que eu mais gostei foi a música ( opnião suspeita =p )



beijooo

vizilino disse...

Muito bom seu blog!Sou fã de Geraldinho Azevedo!!